top of page

Bruno Costa

Contratenor

Bruno Costa, um nome em ascensão no cenário musical, tem se destacado como um verdadeiro polivalente, atuando não apenas como cantor, mas também como regente e produtor cultural. Com uma série de produções independentes e colaborações

notáveis, Bruno tem deixado sua marca em diversas montagens e produções, solidificando sua posição como uma figura proeminente da nova geração da música clássica.

Como contratenor solista, Bruno Costa descatam-se obras barrocas icônicas,

incluindo Juditha Triumphans de Vivaldi (no papel de Ozias), Messias e Dixit Dominus

de Handel, Stabat Mater e Nisi Dominus de Vivaldi, Cantata BWV54 e BWV04 de J.S.

Bach, além de Stabat Mater de Pergolesi. Indo além do repertório barroco, Bruno

demonstrou sua versatilidade ao solar obras tão diversas como Carmina Burana de

Carl Orff, Oratório de Natal de Saint-Saëns, Fantasia Coral de Beethoven e A

Ceremony of Carols de Britten.

Na ópera, destacam-se em papéis como Orfeu em "Orfeu e Eurídice" de Gluck,

L'opinion Publique em "Orphée aux Enfers" de Offenbach, Orestes em "La Belle

Hélène" de Offenbach, Orlofskky em "Die Fledermaus" de Strauss e Belcore em

"L'elisir d'amore" de Donizetti.







Bruno Costa

bottom of page