top of page

Johnny França

Barítono

O barítono brasileiro Johnny França é vencedor do 12º e 14º Concurso Brasileiro de Canto Maria Callas no Brasil e do Concurso de Canto Linus Lerner em San Luis Potosi, México.

Em 2023 Johnny interpretou Euclides da Cunha na ópera Piedade de J. G. Ripper em sua estreia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Eneas na ópera Dido e Eneas de H. Purcell no Theatro São Pedro, além de ter realizado concertos com a Orquestra Municipal de Campinas sob regência de Carlos Prazeres e da ópera La Fanciulla del West no Theatro Municipal de São Paulo, interpretando Sonora.

Em 2022 interpretou o papel-título na ópera Aleijadinho, o Mestre do Barroco Mineiro, de Ernani Aguiar e André Cardoso e participou das produções de A Ópera dos Três Vinténs de Kurt Weil como Tiger Brown e La Serva Padrona/Livietta e Tracollo, como Uberto/Tracollo no Theatro São Pedro e foi Pantalone na ópera O Amor das Três Laranjas, de Prokofiev, no Theatro Municipal de São Paulo. Também em 2022 cantou o papel de Paulo na estreia da ópera À Procura da Flor de André Mehmari no 10 º Festival de Música Erudita do Espírito Santo.



Performances anteriores incluem Don Giovanni, de Mozart, na Berlin Opera Academy e no Teatro Pedro II em Ribeirão Preto, Escamillo na ópera Carmen de Bizet no México e EUA, Conde em Le Nozze di Figaro de W. A. Mozart, D. Ferdinand em Bodas no Monastério de Prokofiev, Marcello em La Bohéme de G. Puccini, Einsenstein em Die Flerdemaus de J. Strauss, Chofer em O Menino e a Liberdade de Ronaldo Miranda e Onegin em Eugene Onegin de P. I. Tchaikovsky no Theatro São Pedro. No Teatro Amazonas encarnou Michonnet em Adriana Lecouvreur de F. Cilea, e interpretou o Sacerdote em A Flauta Mágica no Theatro Municipal de São Paulo, trabalhando com maestros como Claudio Cruz, Silvio Viegas, Roberto Duarte, Luiz Fernando Malheiro, Roberto Minczuk, Abel Rocha e Gabriel Rhein-Schirato.

Johnny é formado pela Academia de Ópera do Theatro São Pedro e Ópera Studio EMESP.  






bottom of page